Esclerose Sistêmica

A esclerodermia sistêmica (ES) é uma doença autoimune do tecido conectivo, rara e de causa desconhecida. É caracterizada por vasculopatia proliferativa e obliterativa de pequenos vasos, mecanismos autoimunes com produção de autoanticorpos e lesão tecidual com ocorrência de fibrose.

ES é uma doença autoimune que acomete diversos órgãos, como pele, pulmão, sistema vascular arterial, trato gastrintestinal (TGI), coração e rim. A doença tem dois subtipos: a forma difusa e a forma limitada. A extensão do espessamento da pele é que diferencia esses dois subtipos.

 1.   Forma difusa: evolução mais rápida, caracterizada pelo endurecimento da pele na porção distal, estendendo-se até a porção proximal dos membros, face, tórax e abdome.

2.   Forma limitada ou CREST (calcinose, fenômeno de Raynaud, acometimento esofágico, esclerodactilia, telangiectasia): evolução mais lenta, caracterizada pelo endurecimento da pele abaixo do cotovelo, principalmente mãos e dedos, parte distal dos membros inferiores e face. Tronco, braços e coxas são poupados. Precedida em anos pelo fenômeno de Raynaud

 Em 10% dos pacientes, a pele é normal, não ocorre espessamento e é denominado esclerodermia sine-esclero. O diagnóstico é feito na presença do fenômeno de Raynaud e acometimento de órgãos, como o esôfago e o pulmão, associado à presença de autoanticorpos específicos da doença.

Manifestações do Trato Gastrointestinal

O trato gastrointestinal é acometido em mais de 90% dos casos. O esôfago é o órgão mais acometido (esofagite), seguido pela região anorretal, intestino delgado, estômago e cólon. Disfagia, odinofagia, dor em queimação retroesternal, regurgitação e sensação de parada do alimento no esôfago são sintomas comuns e, algumas vezes, incapacitantes.

Pacientes com ES que apresentam refluxo gastroesofágico têm maior incidência de esofagite, constrição do esôfago distal e metaplasia de Barrett, sendo de extrema importância o seguimento com endoscopia digestiva alta.

O envolvimento gástrico e do intestino delgado com pseudo-obstrução ocorre devido à proliferação bacteriana apresentando sintomas de anorexia, saciedade precoce, halitose, náuseas, vômitos, distensão, dor abdominal, perda de peso e diarreia.

A desnutrição é uma importante causa de mortalidade nos pacientes com ES, sendo resultante da síndrome de má absorção. Nos casos mais graves, há indicação de nutrição parenteral.

Agende uma consulta e fale com o especialista do Aparelho Digestivo Dr. Mateus Martinelli. Cuide da sua saúde, ir ao médico ao primeiro sintoma de uma doença leva a um diagnóstico precoce e correto de qualquer doença que pode ser tratada em seu estágio inicial e consequentemente é o melhor caminho para a cura.  🍀

COVID-19: Mantenham a higiene e as orientações dos agentes de saúde. Fique em casa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *