Divetículo de Meckel

Divertículo de Meckel é a parte de um canal digestivo fetal que não foi reabsorvido adequadamente durante as semanas 5 e 8 de gestação. Está presente desde o nascimento, ou seja, a causa é congênita.

Essa bolsa pode ser formada de tecido gástrico, pancreático ou intestinal. Na maioria das vezes não causam sintomas. Se os sintomas ocorrem, eles tipicamente aparecem antes dos dois anos de idade. O sintoma mais comum é o sangramento retal indolor, identificado nas fezes (que podem ser escuras ou avermelhadas). Outros sintomas incluem obstrução intestinal, náuseas, vôlvulo e intussuscepção.

Geralmente a transformação para tumor é benigna, para um tumor de músculo liso (leiomioma). Raramente se transforma em um tumor carcinoide ou leiomiossarcoma. Pode-se suspeitar de sua existência por exame das fezes, verificando sangue oculto. O diagnóstico é confirmado através de cintilografia ou gamagrafia com tecnécio ou com tomografia computadorizada. Cerca de 2 a 3% da população geral tem divertículos (bolsas) intestinais, mas, mais de 95% não são diagnosticados por causar poucos ou nenhum sintoma (assintomáticos). São 3 a 4 vezes mais comum em homens. Quando causa problemas, os primeiros sintomas normalmente aparecem antes dos 4 anos.

Quando há sangramento ou infecção persistente o tratamento é cirúrgico, consistindo na remoção da porção afetada do intestino e costurar as partes saudáveis. Como há 10% de complicações (formação de abscessos, mais sangramento ou êmbolos) o tratamento cirúrgico deve ser a última opção.

Agende uma consulta e fale com o especialista do Aparelho Digestivo Dr. Mateus Martinelli. Cuide da sua saúde, o diagnóstico precoce e correto de qualquer doença faz toda a diferença e o tratamento é o melhor caminho para a cura. 🍀

COVID-19: Mantenham a higiene e as orientações dos agentes de saúde. Fique em casa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.